© 2019, Ratsuo by Matsuo®  CNPJ : 27.474.214/0001-56 

Av. Mariland 907/ 1005 Porto Alegre - RS - Brasil

contato@ratsuobymatsuo.com

ABOUT RATSUO BY MATSUO

    Estímulos estéticos são aqueles que percebemos com os sentidos, e não racionalmente, e foi rodeado deles que Matsuo cresceu na capital do estado mais ao sul do Brasil. Nascido em meados dos anos 1990, encontrou desde cedo na abstração um meio de revelar aquilo que teima em não ser visto. Seus traços saem de forma compulsiva, ininterrupta, contínua: rabiscar é febre, caneta é extensão da mão. 

 

    Os riscos transcendem o papel para alcançar outros lugares. Plástico, cimento, pedras e panos se transformam em tela – destino do qual nem o couro da pele escapa. R de Ratsuo é o ruído do risco insistente, irredutível, veloz. É ressignificação, renovação, reconstrução, reinvenção da roupa ou da pele, nova ou curtida, que ganha outra vida ao ser beijada pela tinta. 

 

    O ruído ressoa, também, em sua influência urbana, gritante como o som dos motores e sirenes que embalam, apressados, a geometria das cidades. As muitas vidas, da arte, das cidades e das roupas, transbordam na narrativa do artista, que sente já ter ganhado uma nova chance, outra ficha no fliperama. Depois da experiência renascida de quase morte, ele ressignificou sua relação com a existência e sua abordagem ganhou um novo sentido de liberdade. É de forma solta, sem submetimentos ou briefings e atento ao sentimentos externos e internos, que Ratsuo se materializa.

    Aesthetic stimuli are those we perceive with our senses, and not rationally, it was surrounded by those stimuli that Matsuo grew up in the capital of the southernmost Brazilian state. Born in the early 1990s, from the early days he found in abstraction a way of revealing things that don’t want to be seen. His lines are created compulsively, uninterruptedly, continually: sketching is a fever, the pen is an extension of the hand.

      The lines transcend the paper to reach new places. Plastic, concrete, stones and fabric become canvases - not even the skin escapes this fate. Ratsuo’s R is the noise of the insistent, irreducible and fast sketching. It’s resignification, renovation, recnstruction, reinvention of clothing or of skin, old or new, that gains new meaning as its being kissed by ink.

      The noise resonates, also, in his urban influences, screaming like the sound of engines and sirens that hurriedly cradle the geometry of cities. The many lives of art, of cities and of clothing overflow in the artist’s narrative, he feels he’s got another chance, another coin in the arcade. After the reborn experience of near death, he’s redesigned his relationship with existing and his creation gained a new sense of freedom. In a loose way, with no submissions or briefings and in tune with internal and external feeling that Ratsuo materializes.